Prepare-se para ser homem em primeiro lugar

Lembro de uma vez em que meu pai me perguntou o que eu gostaria de ser quando me tornasse adulto.

Nessa época eu era apenas uma criança que morava às margens de uma rodovia em uma pequena cidade de Minas Gerais, e meu universo limitava-se a um cenário onde um dos meus maiores passatempos era observar os caminhões que ali passavam.

Então respondi ingenuamente que queria ser caminhoneiro. Ele, sábio e curioso, me perguntou o motivo da escolha.

Minha resposta foi imediata: Quero conhecer o mundo inteiro! Foi quando ele me transmitiu um conhecimento que guardei para a vida toda e a partir dali vi que eu poderia expandir meus horizontes.

Meu pai me disse que existem muitas profissões que permitem viajar e conhecer o mundo. Que se esse fosse o meu verdadeiro sonho, a maneira como iria realizá-lo pouco importaria. Poderia ser como caminhoneiro ou outra atividade qualquer.

Os anos se passaram e hoje sou Empreendedor do DeRᴏsᴇ Mᴇᴛʜᴏᴅ. Viajo o mundo ministrando cursos e palestras, ajudando pessoas no mundo inteiro a encontrarem o seu propósito na vida.

E como a vida é cíclica, quando o meu filho me pediu opinião sobre o que ele deveria ser quando crescesse, lembrei de meu pai e encontrei nas palavras do grande J.J. Rosseau a resposta para o meu filho: “…não se prepare para ser nem magistrado, nem soldado, nem padre; prepare-se para ser homem em primeiro lugar; tudo o que um homem deve ser, será capaz de ser, se preciso, tão bem quanto qualquer outro. E, ainda que a fortuna o faça mudar de lugar, estará sempre no seu”.

As Árvores e as Pedras

“Era uma vez um menino cheio de idéias estranhas. Ele achava que o infinito era pequeno e que o eterno era curto. Conversava com as Árvores e com as Pedras, e se emocionava com elas, pela magnitude do que lhe contavam. Um dia as Árvores lhe disseram:

– Sabe? No nosso Universo cada uma de nós cumpre o que lhe cabe, pela satisfação de fazer assim. Nenhuma de nós se exime da sua parte. Os humanos passam suas vidas a só fazer coisas que lhes resultem em conflitos, infelicidade e doença. Não fazem o que realmente gostariam. Caem no cativeiro da civilização, trabalham no que não gostam para ganhar a vida e perdem-na, em vão, ao nada fazer de bom. Por isso tornam-se rabugentos, envelhecem e morrem insatisfeitos. Procure você viver feliz como nós, pois alimentamo-nos, respiramos e reproduzimo-nos, de acordo com a Natureza. Assim, quando morremos, na verdade continuamos vivas em nossas sementes e crescemos de novo.

Vá e ensine isso aos que, como você, podem ouvir nossas palavras. Fará muita gente feliz, livre da escravidão da hipocrisia”

As Árvores e as Pedras – Autor: DeRose