O comendador DeRose compilou um tratado contendo a sistematização das técnicas que utilizamos para obter melhores resultados em tudo que fazemos e nesse artigo vou falar de uma dessas técnicas. A Respiração da Alta Performance.

Nesse tratado existem um total de mais de 84 mil técnicas. É muita coisa! Destas 84 mil técnicas, 840 são as mais importantes e 84 são as essenciais.

Em breve, vou lançar uma consultoria online, onde você vai ter a oportunidade de aprender comigo algumas dessas técnicas e também como tirar o máximo de proveito dessas 84 técnicas essenciais no seu cotidiano.

Mas a intenção não é apenas ensinar pra você como fazer essas técnicas.

Como fazer essas técnicas você vai pegar o livro que é muito didático, vai ler e vai aprender a fazer. Isso é muito simples!

Além de ver isso com você, obviamente, eu vou ensinar, rever, verificar se você está fazendo o correto, se você aprendeu corretamente, e também vou te ensinar como você colocar isso em prática no seu cotidiano, como você utilizar isso para melhorar a sua performance, a sua qualidade de vida na
sua vida pessoal, familiar e afetiva.

Por exemplo, nós temos as técnicas de respiração que são quase 100 tipos de técnicas.

Vou colocar o foco em três delas, nas mais importantes. E como eu disse, não vou apenas ensinar você a fazer essa técnicas, mas vou te ensinar também, a colocar isso em prática no seu cotidiano.

Já falei um pouco sobre respiração nesse artigo aqui.

O que é a respiração da alta performance?

A respiração é a nossa maior fonte de alimento.

Sim, você leu certo! Muitas vezes nós achamos que a maior fonte de alimento está no nosso almoço, no nosso café da manhã.

Não, não é verdade.

A nossa maior fonte de alimento de energia é na nossa respiração. E se você aprende a respirar de forma correta, extrai dali ensinamentos para o seu cotidiano.

Você tem como conseguir uma “vantagem desleal” em relação às outras pessoas que estavam à sua volta.

Eu vou dar um exemplo para você entender e já fica aí uma grande dica!

A respiração, ela pode ser dividida. Podemos dividir a respiração, utilizando parte abdominal, a parte intercostal ou toráxica.

Qual é a melhor respiração?

Com a parte baixa, a parte intercostal, ou alta? Depende. Depende do efeito que você quer.

Se você quer descontração, para fazer um trabalho onde é preciso estar mais descontraído, é preciso mais criatividade, então a respiração baixa ou o que nós chamamos de respiração abdominal é mais apropriada: ar para dentro, barriga pra fora, ar para fora, barriga pra dentro.

Não utilizar a parte alta do tórax, nem a parte média, só a região abdominal.

Ar para dentro, barriga pra fora, ar para fora, barriga pra dentro, fazendo isso de forma lenta e ritmada.

Por exemplo, inspirar em quatro segundos, expirar em 8 segundos, ou se preferir, inspirar em quatro segundos, e expirar também em quatro segundos.

Se você fizer a expiração mais longa, vai conseguir mais descontração.

Qual vai ser o resultado disso?

Ao fazer uma expiração longa, e fazer isso por um tempo longo, o teu corpo vai perceber que você está com a respiração ritmada e lenta.

Isso vai fazer com que o seu coração entre em sintonia com essa respiração lenta, desencadeando um processo, dentro do nosso corpo que determina os tipos de emoções, sentimentos e pensamentos que geram o resultado esperado.

Você vai conseguir perceber uma sensação de descontração, e também de curiosidade, vai querer pesquisar, tornando-se uma pessoa mais criativa.

Esse é um dos pequenos exemplos onde a respiração influencia, através da
fisiologia, naquilo que nós sentimos ou pensamos.

A cada postagem eu dou uma dica sobre algum dos diversos assuntos e comportamentos que são tratados mais profundamente na consultoria individual.

Procure aqui no blog por um tema de seu interesse, ou deixe nos comentários sua sugestão para um tema que te interessa e que não tenha encontrado aqui.